domingo, 10 de junho de 2018

Preparada para a próxima semana?


É a semana foi "punk": da máquina de lavar estressada que simplesmente parou, ferro de passar que não esquentava, vaso sanitário entupido, escada rolante travada ao ápice de 1h5' presa num elevador...afffff...  e como se não bastasse, uma crise de asma....
Difícil, não é mesmo?

Mas, todavia, porém, contudo os ensinamentos do amado Padre Léo, o homem do Sagrado Coração de Jesus que hoje mora no céu, ferveram no meu coração e lembrei-me dele fazendo a “oração do fogão do livro Rezando a Vida” na Palestra “Arrancar as raízes encardidas”, (segue link abaixo, vale a pena assistir) de todas é a que mais gosto, e senti que precisava de cura e libertação e ao invés de só murmurar e reclamar clamei fervorosamente que o Espírito Santo agisse em cada situação, lubrificando engrenagens, reacendendo o fogo, desentupindo o que não fluía e ofereci ao Senhor Deus que tudo regenera, cura e liberta desejando sentir a Sua misericordiosa Presença em cada dificuldade.

Gosto muito de assistir uma cena do filme A volta do todo poderoso “Em que a esposa, Joan Baxter (Lauren Graham) de Noé de Nova York fala com Deus (Morgam Freeman) para refletir a sua Mensagem por que Deus escolheu o seu marido para a missão de salvar a cidades”, e Ele (Deus)  a questiona: “Se você rezar pedindo paciência, achas que Deus lhe dará paciência? Ou, Ele dará a oportunidade de ser paciente? Se pedirmos coragem, Deus nos dará coragem? Ou, A oportunidade de sermos corajosos?”

Outra estorinha que também, adoro relembrar e a do Cebolinha que acordava todas as manhãs e feliz, abrindo os bracinhos pronunciava “Oh que dia malavilhoso”, mesmo depois de várias tentativas de confirmar a sua afirmativa ele tenta resilientemente viver o seu dia malavilhoso!

E é sob essa ótica que venho tentando pautar a minha vida, fica o Padre Léo de um lado e a oportunidade de vivenciar, os dons e virtudes do Espírito Santo, do outro, pois conforme descreve o Apóstolo Paulo em Gl 5, 22-23... "O fruto do espírito é a caridade, a alegria, a paz, a paciência, a longanimidade, a bondade, a benignidade, a mansidão, a fidelidade, a modéstia, a continência, a castidade. É bonito falar, escrever e referenciar todas estas atitudes e sentimentos. Agora viver, é muito diferente!

Às vezes num só ato a vida apresenta a oportunidade de vivermos todos os dons e virtudes, ou às vezes quando não damos conta de “obedecer” várias outras oportunidades surgem e penso que foi exatamente o que aconteceu comigo esta semana.

Posso dizer de tudo o que relatei o dom que mais me confortou foi o da alegria, foi ele que me sustentou mesmo após um breve destempero e de ter “pago o dízimo do encardido” reclamando, murmurando e até xingando. Mesmo assim pude sentir a misericórdia e a força “daquele” que nos sustenta e surpreende com o seu amor puro e infinito e assim posso encerrar esta semana, pelo menos até agora às 13h46 deste dia 10/06/2018 (risos) dizer como diz Roberto Carlos: ‘

“Se chorei
Ou se sorri
O importante
É que emoções eu vivi”....
e senti-me restaurada e, preparada para a próxima semana??? Bem, pelo menos é o que desejo ardentemente.

Resumo dizendo que vivi experiências únicas e fortes que fortaleceram a minha fé e eu pude orar “que o meu cansaço a outros descansem”, pois o Senhor me amparou e sempre me amparará mesmo se, e quando, eu não concordar com os seus planos para a minha vida.

Que Ele me ampare e me conduza, sempre e seja “em tudo na minha e na sua trajetória, glorificado”.

Amém!







Fonte: Youtube

segunda-feira, 2 de abril de 2018

Ventos contrários, mergulho necessário.


Imagem internet

“Hoje a melancolia visita o meu coração.
É, vou deixá-la à vontade pelo tempo suficiente e necessário até que os mecanismos de restauração sejam acionados.
Às vezes é preciso um mergulho profundo para valorizar o respiro na planície.”
Simples assim!

domingo, 17 de dezembro de 2017

Eu queria o que não tenho....!?


Eu queria um pé de:
gengibre,
de orégano,
de hortelã,
de manjericão,
de pimenta, para plantar no meu quintal.
Ih, não tenho um quintal...então....
Eu queria um quintal para plantar um pé de:
gengibre,
de orégano,
de hortelã,
de manjericão,
de pimenta,....
e assim nós seguimos num círculo de “precisões” disso, daquilo, do alcançável, do inalcançável, do desejável, do indesejável.....mas sempre querendo mais, e mais, e mais....

Simples assim.

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Por que sabotamos a nossa felicidade?


É impressionante como o fim de uma parte da nossa vida pode ser o começo do tudo....e mesmo assim chegando a essa conclusão a pergunta que não quer calar é "porque será que o tememos tanto"?
Por que sofremos com o ponto final se sabemos que a vírgula pode ser o símbolo de tristes interrupções e que os travessões só emendam o passado com o futuro não acrescentando nada de novo?
Será que é uma forma de sabotar a tal felicidade que tanto ansiamos?
Na busca de respostas, encantada contemplo a arte do mosaico. A partir de cacos edifica-se uma linda obra de arte, renovando no alegre entrelaçamento das várias formas, das várias cores. E o lindo é que sabemos que tanta beleza nasceu do estilhaçamento do vidro por um instrumento próprio que provoca essa beleza toda nascida a partir da dor, do fim de uma outra peça com o consequente encerramento da função desta.
Assim também vejo o nosso coração que a partir de pequenos cacos também pode construir novas trajetórias colando-os com a cola da fé e da esperança em dias melhores que produzirão uma nova história abrindo nossos olhos para o temor do sofrimento que tanto nos cega a ponto de não percebermos que já estamos sofrendo há muito tempo.
O medo do tão temido fim nos entontece e nos imobiliza turvando a possibilidade do novo e o compromisso com o fim de um amor puramente romântico que nos impede de partirmos na busca do amor que produz, que transforma, que cria e que a partir disso tudo não suporta mais ficar sozinho.
É esse amor que queremos, é desse amor que precisamos.

Simples assim!

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

O possível apesar da evidência do impossível.


Às vezes fazemos uma leitura errada da vida e passamos por ela batalhando por uma felicidade que acreditamos possível apesar da evidência do impossível e não percebemos que apenas nos privamos dela.
Ser feliz é um direito inalienável, é dom de Deus, é um dever que devemos cumprir e não adiar acreditando no inacreditável, perseguindo o inatingível, perdendo-se na incondicionalidade do "se...".

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Segredar os íntimos segredos


Quero versar os carinhos.
E de amor fazer nosso ninho e por amor cantar.
Quero permitir que a vida seja feita de prosa.
E ouvir das notas o falar.
Inibir o medo, segredar os íntimos segredos que num coração possa morar.
Barganhar a dor pelo calor do seu pensar.
Quero carinho,
             ninho,
                  cantar,
                        falar,
                            segredar.
E em seu coração a paz encontrar.

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

A paciência trançada.

Dourados como o sol, assim eram.
Nos causos relatados com carinho.
Ouvi sobre cabelos cacheados, os meus.
Distantes, na infância conservados.
Naqueles tempos eles eram penteados e trançados, com grande paciência.
Se permaneciam não creio.
Pensam que viravam um picumã.
Não há fotos, só fatos contados.

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Parabéns irmã amada!

Parabéns ermã que o Senhor Deus te cubra de bênçãos, de alegria, saúde e felicidade.
Deus achando que eu ficaria triste enviou-me uma menininha baixinha e invocadinha para que eu nunca me sentisse sozinha e aprendesse a dividir e a amar porque metade de mim sou eu e metade de mim é você minha irmã amada.
Sua vida torna a nossa vida especial e abençoada!
Te amo eternamente e uns 6 meses além!
Vivaaaaaaaaaaaa!
"Tão essencial quanto o coração que bate dentro de mim.
Minha amiga.
Minha irmã.
Minha vida."
Luuana Barbosa

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

O reencontro com a criança.


O reencontro com a criança que tudo perdoa
Fazer faxina é sempre bom, é o momento que paramos para escolher o que serve e o que não serve, é o tempo de
 tirar a poeira que o tempo vai acumulando;
 enfeitar e perfumar;
 de customizar sentimentos;
 de respirar profundo saboreando o ar  renovado no ato do novo;
 de arrastar os "móveis" que escolhemos para compor a nossa morada,
 de
 varrer a poeira intrincada;
 umedecer o solo infértil pela secura da alma e mesmo satisfeitos(as) pela "faxina na alma".
 E quando vamos organizar a bagunça gestada no desejo da ordem, nos deparamos com desejos, sonhos, ódios, amores, perdão dado, perdão negado, lá atarracados com medo de serem mexidos.
Abra as janelas, arraste os móveis, lave as cortinas, varra o solo, arranque o que está encrustado e que tem medo de ser renovado, sopre, puxe, rasgue, cutuque, corte, sangre, mas não perca a oportunidade da disposição do renovar que te visita, mesmo que isso provoque
 sobressaltos, sustos, risos, choros e gritos.
 Assuma o novo, receba a cura, fortaleça a paz, reencontre a criança pura que tudo perdoa porque não sabe analisar culpas e nem avaliar faltas, ela só reage a dor, ao amor, ao dar, ao negar, ao frio e ao calor.
 Não importa seja você grande, em crescimento, em enchimento,
seja você quem for.
Simples assim.

sábado, 12 de agosto de 2017

Te amo, meu pai!


Pai, meu pai, para mim és o "rosto humano de Deus"!
Sempre presente mesmo na ausência, poderoso e humilde, forte e fragilizado, alegre ou triste, bravo ou compassivo, ou simplesmente pai.
Agradeço ao bom Deus Pai de todos nós por se fazer presente em minha vida com o nome de Manoel João, com voz de trovão, passadas e gestos fortes.
Te amo de qualquer jeito e em qualquer circunstância!
Obrigada por sempre estar presente na minha vida!
O Senhor é glorificado na sua vida meu papai que me faz sentir uma menina quando cuida de mim, preciso e sempre precisarei de ti minha fortaleza, meu esteio, meu exemplo, meu primeiro amor!
Te amo pai, meu pai!!!!

domingo, 30 de julho de 2017

Suspiros sagrados!

“Depois dos suspiros sagrados gestados no prazer do eterno apaixonado ela sorri quando do alto dos 40 metros, de soslaio na janela espera...
e espera...
e feliz sorri ao ver o aceno dele que indica a certeza de que do seu
paraíso, ainda em êxtase,
 ela o contempla e explode em beijos insanos e adeuses cheios de gratidão,
amor e paixão...
Eu sou ela....
Ele é ele.....
Simples assim”!