quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Democracia, nem tão simples assim.

Bem, vou descansar povo amado, agora a tarde nos deparamos com uma situação que despertou revolta e indignação. Não cabe argumentar, não é hora de tentar entender o que está acontecendo, talvez nunca saibamos "as verdades" que permeiam esses atos incompreensíveis, afinal, ânimos alterados não são bons conselheiros, é momento de só deitar a cabecinha no travesseiro e pensar pois precisamos de calma para não perdermos a razão.
Todos nós sabemos que para se construir um edifício novo é necessário demolir o antigo, inclusive o alicerce, aprendi isso numa prática oriental.
Baseando-me nessa prática acredito piamente que tudo vai melhorar ,mas para que isso se concretize é preciso que toda a sujeira venha à tona para que lobos que hoje se travestem de cordeiros sejam revelados.
Temos ciência que estamos à mercê de um governo que não honra seus compromissos morais e éticos junto ao seu povo há muito e muito tempo, mas até isso tem um período de validade, de saturação. Hoje, esse governo formado pelos três poderes me apavora e se transforma no horrendo e pavoroso Leviatã (Thomas Hobbes) que "concentra todo o poder em torno de si, e ordena e coordena todas as decisões da sociedade" de uma maneira invertida deformando a relação que define a democracia.
É, realmente, assustador, porém, precisamos decididamente de foco e fé para usarmos a luta como uma força propulsora de mudança para que o poder seja legitimamente e honradamente exercido por ambos os lados.
Nesse tempo chamado hoje, precisamos descansar para que no amanhã, juntos, e lúcidos possamos definir estratégias para restabelecer a ordem e a paz.

Nem tão simples assim.