sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Quando seguir é preciso...

Toda descida é difícil, principalmente quando nenhuma outra opção se apresenta. A arbitrariedade que ela impõe nos aterroriza e, por vezes nos imobiliza. A tentação de parar e sentar nos amolece e o desejo de prosseguir se acua escondendo-se na fragilidade da vergonha que a submissão nos traz. Descer, por um momento nos faz mergulhar na eternidade, e o para sempre se apodera assustadoramente da nossa vontade.

É neste exato momento que o suspiro rompe a dor que se amontoa no peito e precisa, desesperadamente sair e sonorizar esse "ai" tão dilacerante. É o suspiro da alma machucada que provoca nos lábios um racho libertador em forma de ar....e na medida que este se liberta outro se avizinha sendo avidamente aspirado oxigenando a razão.

Assim o panorama se modifica  pelo grito e é renovado teimosamente pela esperança que se manifesta e nos impulsiona a lentamente retomarmos o caminhar batido e frequente  para frente sem apelidar a geografia, sem estigmatizar...
......chega de banalizar...
................chega de pensar...
..........................apenas seguir....
...................................é hora de planificar.
Simples assim.