terça-feira, 1 de outubro de 2013

Cicatrizes delimitando o viver...

Que bom reconhecer as bençãos mesmo quando a memória acusa faltas dolorosas.
Acredito que seja o agir  de Deus em nossas vidas.
Não há porque questionar, basta confiar e aceitar o lenitivo do perdão.
Mas antes de recebê-lo a necessidade se faz premente de perdoar-se primeiro, de livrar-se, através da: análise das infinitas possibilidades que a ocasião não permitiu viver e das amarras da acusação que fica ali lembrando a sua fragilidade, a sua humanidade. O Padre Fábio canta com maestria "sou humano demais para entender, humano demais pra compreender..." e esse cantar ajuda a transposição para o viver da Samaritana e assim assimilar o que resta fazer: "Se a sua manhã não deu certo, reinaugure a sua tarde", é assim que se reinicia o caminhar reinaugurando novos tempos mesmo tropeçando nas cicatrizes que, apesar da referência dolorida impedem o total esquecimento daquilo que não vale a pensa viver novamente.


Simples assim.