quinta-feira, 10 de outubro de 2013

"Me capacite a deixar, Senhor, seus santos rastros por onde eu caminho, sempre, mesmo quando, e são muitas as vezes, que não consigo".

Hoje, peço emprestada a postagem do "Blog Padre Léo Eterno" que traduz o que meu coração saudoso está sentindo. Este, um dia, muito sofrido encontrou nas pregações desse homem do Sagrado Coração de Jesus, que hoje mora no céu, o consolo do Espírito Santo e a certeza de que 
"Deus me ama e me quer feliz".
Ele ficou pouco tempo por aqui mas nos ensinou a deixar "Rastros de Deus" por onde caminhamos e é o que peço ao Senhor Deus, "que me capacite a deixar Seus santos rastros por onde eu caminho, sempre, mesmo quando, e são muitas as vezes, que não consigo".
Para orientar essa prática, na minha opinião não existe oração mais perfeita do que a do "Pai Nosso", nela o Senhor nos ensina a importância da fraternidade, da caridade e do respeito mútuo e descobrimos que nada somos sozinhos, pois "nada é nosso, tudo é do Pai", que não é meu, não é seu,
 é nosso.
Simples assim...
Posted: 09 Oct 2013 05:45 AM PDT
[...]" O Evangelho, segundo São Lucas (11, 1-4), apresenta-nos a oração do "Pai Nosso”, que é a oração por excelência de todo o cristão, quando apresentamos ao Pai do céu as nossas necessidades. Nós a rezamos tantas vezes, mas sem conhecer o seu verdadeiro significado.

Padre Léo nos traz em seu livro: “Rastros de Deus", uma reflexão sobre a oração do “Pai Nosso”, que é uma catequese, palavras que devem ser meditadas e assumidas na vida de cada um de nós. “E nesta oração está tudo aquilo que ele quer que vivamos para perceber a presença constante desse Pai que é amor”. 

Trago aqui trechos dessa reflexão:
“Se é Pai Nosso, somos irmãos uns dos outros, e se não fizermos uma profunda experiência de fraternidade jamais experimentaríamos o amor do Pai. 

Ele é Pai que está nos céus, porque sendo perfeito não pode estar em outro lugar que não fosse a presença constante do amor. O lugar das felicidades eternas, da plena alegria, do amor infinito, da harmonia e da paz. 

Seu nome deve ser Santificado, porque Ele é o único Santo. E sua santidade é modelo para a santidade que devemos viver. 

O Pai quer que vivamos o Seu Reino, porque é o reino da perfeita harmonia, das alegrias eternas. E se não temos o reino como meta, não podemos semeá-lo em vida. 

Sua vontade deve ser concretizada, porque sua vontade é a felicidade total para o ser humano que Ele tanto ama. Sua vontade deve ser feita na Terra como no Céu, porque a vontade do Pai é que todos os homens descubram e pratiquem o verdadeiro significado do amor, já que o céu é a presença total do amor. 

Ele nos dá o pão cotidiano para que não exista no mundo a ganância, o materialismo. 

Ele nos perdoa porque nos ama. Mas também nos pede que saibamos perdoar nossos irmãos, porque quem não aprender a perdoar, jamais se sentirá perdoado. 

Ele impede que as tentações do mundo sejam maiores que as nossas forças, mas isso implica uma luta constante de nossa parte em não nos aproximar do mal". 

Na certeza de que o Pai nos ama, padre Léo vive concretamente esse amor, porque cremos que “quando de volta à casa paterna, com o Pai os filhos se encontrarão”.

Visitem esse site e saboreie as palestras e as reflexões dos meus queridos amigos e amigas que cuidam da memória desse homem valioso: