segunda-feira, 18 de novembro de 2013

A pressa do dia a dia apressa a saudade das ausências.

É amargo o doce desenrolar da vida, é um vai e vem das  chegadas e das partidas. Na verdade nunca sabemos quando realmente estamos nos despedindo de alguém, às vezes é com um bom dia, com um oi, com um boa tarde. 

Quantas vezes com um até logo definimos um adeus?  Por isso penso que ao cumprimentar alguém sorrir é essencial. O sorriso marca positivamente cada encontro,  compõe e recompõe a saudade da oportunidade perdida e do adeus disperso na ignorância que nos poupa e nos protege da dor que a morte antecipa.

Deus o acolha em sua glória querido Melo, homem lindo que povoou os nossos sonhos de adolescência com seus olhos claros e marcantes, sua elegância inesquecível,  seu charme encantador.

Agradeço pelas vezes que conversamos e você acolheu as minhas dúvidas e me presenteou com sua visão masculina.

Sinto muito pelos rápidos encontros do dia a dia sempre na correria que nos privaram de prosas, com certeza deliciosas. Meu mundo está triste hoje meu caro professor bonito.

Arrase aí no céu.

Combinado?

Simples assim.