quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Realmente, o perdão liberta.

Realmente o perdão liberta quem o oferece e quem o recebe. 
Estou imensamente feliz e emocionada, minha vida, agora está completa com a volta de um grande e imprescindível amigo.

Essa canção foi composta contando o retorno da mulher amada que abandonara o seu apaixonado para procurar fora daquela vida oferecida o que ali não encontrava. No entanto descobre decepcionada que tudo que descobriu em nada se comparava ao amado abandonado. É linda, já a ouvi interpretada pela Joana e pela Elis Regina.


Tomei a liberdade de "roubar" estes versos para dar as boas vindas para uma pessoa maravilhosa que se ausentou da minha vida por um longo e dolorido tempo e agora entre lágrimas sinceras e bonitas está voltando, não sob e nem nas mesmas condições do poeta e da sua amada, mas numa perspectiva muito maior e mais profunda que é a de uma amizade que integra numa só, duas pessoas.


Me emociono ao recordar do abraço apertado doído de saudade e da mistura dos beijos, das lágrimas e dos pedidos simultâneos de desculpa, desculpa, desculpa.... O mais lindo é descobrir que a dor dessa saudade, dessa ausência, o desejo da justiça e a pobreza da certeza de que se está certo ou certa foram derrotados pelo desejo do reencontro e pela dor que o vazio da ausência dolorosa impingia.


O motivo? Ah o motivo se diluiu no espaço e se misturou nos abraços. Não foi a primeira nem será a última que a nossa amizade é lapidada na angústia da ausência.


Na minha sala tem quatro cadeiras, uma delas, a que fica à minha direita é dele e realmente, estava vazia.


Entra amigo Alex, senta, toma posse do seu lugar na minha vida. 


"Entra, meu amor fique a vontade e diz com sinceridade, o que desejas de mim,

Volta, podes entrar a casa é sua [...]
 sua cadeira ainda está vazia.
Tu é o(a) filho(a) pródigo(a) que volta..."
 (Cadeira vazia, Lupicinio Rodrigues)

Simples assim.



Esse vídeo é só para você apreciar essa linda canção nessa interpretação magistral da nossa eterna Elis Regina.