sábado, 28 de dezembro de 2013

Bora produzir felicidade no tempo da saudade?

A saudade eterniza e nomeia momentos,
 histórias,
 trajetórias
...ora doída,
 ora profícua,
 ora profana,
 ora sagrada,
 com mil faces,
 mas sempre com esse nome, SAUDADE,
 o sal da idade,
 que de tão salgada 
deixa um gosto
 amargo no tempo,
 sim, 
deixa,
 mas não nega a vida, 
o que foi vivido 
o que já está passado.

A escolha da memória, 
é sempre a  da nostalgia, 
da tristeza ou 
da incapacidade, 
regada e fertilizada dolorosamente pelas lágrimas, 
que rouba o doce vivido
 e experimentado em algum ponto do vivenciado...
acho que já está mais do que na hora de produzir 
felicidade no tempo da
 saudade...

Simples assim.