domingo, 12 de janeiro de 2014

A prisão das convicções e dos desapegos.

Que ninguém se iluda, mesmo quem se julga livre vive preso às suas convicções,  aos seus próprios desapegos e no desempenho de mantê-los.

Simples assim.