quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Mãe também sente medo.

Sempre que desaba uma tempestade, e nessa época do ano isso acontece todas as tardes, uma recordação me invade.
Nada muito complexo. Simplicidades da vida. Coisas da infância.Na verdade, era até curioso pois não entendíamos muito bem o porque que todas as vezes que o mundo desabava num temporal a nossa mãe reunia os quatro filhos, ora em cima da cama, ora embaixo da mesa. Era engraçado. 
Realmente, na época, não entendíamos nada até que já adultos descobrimos que era ela, a nossa mãe, que tinha medo da chuva. Imagino como era difícil para ela, sentir medo e ao mesmo tempo esconder para que a 'molecada' não percebesse e se sentisse desprotegida. Afinal como explicar para quatro crianças que mãe também sente medo?
Até hoje, quando chove, ficamos os quatro, cada um no seu canto ligados nela torcendo para que a chuva passe rapidinho e ela possa liberar os seus ouvidos e acalmar o coração sobressaltado como quando ainda menininha lá na casinha da sua infância ela tremendo de medo e assustada buscava a sua mãe para sentir-se protegida. Não sei se em cima de uma cama. Não sei se embaixo de alguma mesa.
Coisas de filho.
Coisas de mãe. 
Coisas de família.
Simples assim.