domingo, 5 de janeiro de 2014

Nunca é muito tempo.

....ah não dá não, nunca é tempo demais, é longe demais. Prefiro caminhar pelo talvez, um tempo bem mais aprazível.

Simples assim.