quinta-feira, 10 de abril de 2014

Poetizando o ponto de vista e arrasando na simplicidade.


Adoro essa reflexão da minha mãe, a senhora Maria Delfina, exímia costureira que arrasa com a duplinha acima.

Ela aprendeu o que tão bem executa por necessidade; é autodidata no assunto e hoje depois de ter 'educado' as suas meninas e o seu menino transformou o ofício em lazer.

Formidável!

Ela trabalha por e com paixão, trabalha habilidosamente unindo pontos, linhas e tecidos e ganhando um sorriso de volta como agradecimento pelo brilhante resultado. Tal habilidade, talvez, encontre justificativa na vontade que ela tinha de ser pianista. Não conseguiu, mas conseguiu e consegue encantar a todos com as suas customizações.

É fera, essa senhora, além de linda, excelente administradora, bom papo e muito, muito inteligente. Do alto dos seus 77 anos deixa a todos embevecidos com a sua eterna juventude.

Dona da sua história caminha sobre a vida com a delicadeza de quem poetiza e produz poesias marcando as nossas vidas para toda a eternidade.

Simples assim.