sexta-feira, 27 de junho de 2014

Vivendo o chronos para viver o kayros.

O tempo, o chronos, define nossas vidas em etapas, vivemos cada um numa sincronicidade espantosa e poucas vezes perceptível. Um tempo nos prepara para o outro basta prestar atenção e ler os sinais do "que" e do "para que".
No tempo da alegria nossa tendência é a de nos sentirmos merecedores afinal pensamos, é esse o curso natural, porque ninguém aguenta ser triste o tempo todo. Hummmm, não é assim que eu vejo. Encaro o tempo da alegria como um tempo onde respiro, e me abasteço para os tempos difíceis, bem ao estilo daquela fábula "A cigarra e a formiga", lembra-se? Pois bem encaro a performance da formiga, vou abastecendo a minha dispensa emocional, "relaxando a tensão", iluminando com o meu sorriso conservando a esperança e a fé para as tempestades que a vida oferece...não tem como escapar, "faz parte".
As pessoas tem demorado tempo demais nas mágoas, nas tristezas, nos lamentos, nos murmúrios, nas raivas, nas desesperanças e quando vislumbram o tempo da alegria não se abrem como deveriam e o vivem como se "não houvesse amanhã", sem saborear, sem se deleitar sem se comprazer.
Entre estes dois tempos inserimos a espera e "quem espera sempre alcança" e se a espera for verdadeira, proveitosa e produtiva ela nunca cansa.
¶ Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.
Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou;
Tempo de matar, e tempo de curar; tempo de derrubar, e tempo de edificar;
Tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de dançar;
Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar;
Tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de lançar fora;
Tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar;
Tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz.[...]
¶ Tudo fez formoso em seu tempo; também pôs o mundo no coração do homem, sem que este possa descobrir a obra que Deus fez desde o princípio até ao fim.
Já tenho entendido que não há coisa melhor para eles do que alegrar-se e fazer bem na sua vida;
E também que todo o homem coma e beba, e goze do bem de todo o seu trabalho; isto é um dom de Deus.(Ecl3:1-13)


Administrar o tempo é bíblico, é dom de Deus, é carinho de Pai que só quis facilitar a vida dos filhos e como se o 'chronos' não fosse o suficiente Ele nos oferece o 'kayros' que é o seu tempo infinito de misericórdia, de graça e de amor. Se não valorizarmos o primeiro não saberemos viver no segundo que, na verdade, é o único tempo verdadeiro.

Simples assim.