domingo, 30 de agosto de 2015

Cúmplices e cumplicidades.

O seu seio repousava colado à pele dele e deliciosamente subia e descia acompanhando o arfar da sua doce e repousante respiração.

E feliz, ali embalada, ela sorria piscando pra lua que pungente seus corpos iluminava e as duas fundiram o gozo num só instante e cúmplices fizeram daquele um tempo eterno e🎵"infinito particular"🎵.

Simples assim!