sexta-feira, 18 de setembro de 2015

A plenitude e finitude em nós

Somos belos na plenitude,
Livres, apesar de cativos;
Vivos, apesar da finitude,
O que nos resgata, são os risos.
Simples assim!