domingo, 8 de novembro de 2015

Poder que assusta e machuca.

A mulher pode ser 'dona' do corpo dela, mas não tem nenhum direito sobre o corpo do bebê.
São duas pessoas com o mesmo direito a vida.
Se a questão passar por essa discussão como a outra pessoa se fará ouvir quando reivindicar a mesma posse?
O aborto é medonho e abre uma ferida no coração da mulher que não tem cura.
Um poder que assusta!
Simples assim!